É possível tratar foliculite com depilação a laser?

Tempo de leitura: 5 minutos

Dias de sol, chuva, correria cotidiana, roupas apertadas, suor e, quando percebemos, já temos muitos pelos encravados, principalmente na virilha e na barba (no caso dos homens). No entanto, há uma solução para tratar foliculite: a depilação a laser.

A foliculite é uma lesão nos pontos encravados, que pode ou não ter pus, mas que por conta da umidade, vestimentas justas, cosméticos ou quaisquer outros tipos de irritações, criam bactérias e o resultado é aquela bolinha que parece “espinha” (ou uma legião delas).

O procedimento é muito eficaz porque o laser extingue grande parte ou totalmente os pelos dos locais, evitando que eles se inflamem. Saiba mais sobre como usar o laser para tratar foliculite no post!

Como usar o laser para tratar foliculite?

Primeiramente, é necessário fazer uma avaliação, para que o profissional mensure se a pele está em condições de passar pelo procedimento, se há a necessidade de algum cuidado antes da depilação a laser em si e estimar quantas sessões serão necessárias.

Na região desejada (e que principalmente mais incomoda com o surgimento dos folículos inflamados), o aparelho é regulado na intensidade de luz exata para acabar com o bulbo capilar e, assim, remover todos os pelos.

De início, eles começam a crescer em um maior espaço de tempo e em menor quantidade, até que sejam definitivamente extintos. Como cada pessoa tem suas particularidades, o processo é gradual e diferente para cada indivíduo.

Entretanto, o laser tem um efeito satisfatório desde as primeiras aplicações, principalmente nos casos da foliculite. A diminuição dos pelos, conseguida logo no início, já reduz o processo inflamatório, o que é um grande alívio para quem sofre com o problema.

O período entre uma sessão e outra é em torno de 45 dias, podendo variar de acordo com o crescimento, já as manutenções variam de 3 a 6 meses.

Há restrições aos tipos de peles?

Hoje em dia já não há mais exceções quanto aos tipos de peles que podem se submeter ao processo: de cútis claras a negras, há equipamentos no mercado que suprem as necessidades de todos, sem causarem manchas ou queimaduras.

Para isso, mais uma vez vale ressaltar a verificação com o profissional da melhor técnica para cada um. As peles mais escuras requerem lasers que protejam mais a epiderme e, obviamente, só um especialista gabaritado irá saber indicá-los.

Os únicos pelos em que bons resultados não acontecem são os brancos, loiros ou ruivos, já que a luz do laser busca a melanina e, como esses fios têm pouca ou nenhuma concentração desse pigmento, tornam-se insuficientes para a realização do procedimento.

Como evitar a foliculite no meu dia a dia?

Mesmo que fazer a depilação definitiva já esteja nos seus planos, há algumas maneiras de se proteger desse incômodo:

  • evite o uso de roupas apertadas: o atrito com os tecidos, principalmente o jeans, é um grande vilão para sua pele, causado irritações, ferimentos e o surgimento dos pelos encravados;

  • use sabonete antisséptico: limpar a região com esse produto é uma excelente alternativa para evitar inflamações. Além de higienizar o local, você ainda impedirá a proliferação de germes e bactérias, que são os maiores causadores da foliculite; 

  • esfolie a pele: o dermatologista é a pessoa mais indicada para receitar o produto certo para o seu tipo de tez, assim como a frequência da esfoliação. Com essa técnica, a camada superficial da pele é retirada, o que ajuda bastante a não aparecerem os pelos encravados;

  • deixe a região arejada: a umidade é um dos fatores do aparecimento das foliculites. Portanto, sempre que puder, use roupas mais frescas e deixe que a pele “respire”;

  • utilize produtos específicos: mais uma vez o médico é fundamental e prescreverá cremes com ações antibacteriana e antifúngicas, podendo ou não incluir antibióticos no seu tratamento.

Depilação a laser causa dor? Quais cuidados eu devo ter durante as sessões?

Depois da avaliação, o especialista recomendará o tipo de depilação definitiva mais adequada e, dependendo da sensibilidade de cada um, ela pode causar incômodo. Porém, nada que anestésicos e jatos de ar frio não aliviem.

Os avanços tecnológicos têm feito com que os aparelhos fiquem cada vez mais potentes e com menos contraindicações. Assim, muitas pessoas vêm recorrendo a esse procedimento, seja pela estética ou para se livrarem das foliculites.

É importante ressaltar alguns pontos durante o tratamento:

  •  use bloqueador solar: o profissional indicará o melhor produto para você; utilize-o na frequência sugerida;

  • evite a exposição solar na região: antes e depois das sessões é primordial não deixar a pele em contato com o sol. Isso evitará manchas, queimaduras e lesões, já que a cútis tende a ficar mais sensível;

  • não faça hidratações no local durante 24 horas: após a depilação a laser, não aplique cremes e óleos por um dia;

  • peça conselhos ao profissional: não hesite em sanar suas dúvidas quanto ao tratamento, preparação antes e depois das sessões, assim como os melhores produtos para você;

  • não use outros métodos de depilação além da lâmina durante o intervalo das sessões.

Agora que você já sabe como tratar foliculite com a depilação a laser, entre em contato conosco para desfrutar de tudo o que esse procedimento tem a oferecer!

 

Sobre Clinica Eva

Clinica Eva

A Clínica EVA valoriza o cliente, prestando atendimento sempre de forma ética e transparente, identificando as suas reais necessidades e proporcionando a melhor experiência em alcançar beleza e bem estar. Trabalhamos com o que existe de melhor para tratamentos corporais, faciais e depilação a laser, com profissionais preparados e qualificados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *